Deixe um comentário

Veloso Motorsport sem sorte em Jerez de La Frontera

Não foi a melhor estreia do Lamborghini Gallardo GT3 da Veloso Motosport no campeonato Espanhol de GT 2010 (Foto: D. R.)

Com um fim-de-semana de muito trabalho em Jerez de La Frontera, a Veloso Motorsport não teve a vida facilitada nas três competições onde esteve envolvida, o Campeonato de Espanha de GT, a Supercopa SEAT Leon e a Copa Peugeot 207 THP. A equipa lusa não teve a sorte pelo seu lado, ficando por isso um pouco aquém dos resultados esperados.
A estreia do Lamborghini Gallardo GT3 no campeonato espanhol da especialidade não foi isenta de problemas, o que impediu que a dupla Francisco Carvalho/Mário Silva, também eles estreantes ao volante do carro italiano, conseguissem brilhar e demonstrar as grandes capacidades que lhes são reconhecidas.
“Foi uma jornada em que apesar de tudo conseguimos cumprir os nossos principais objectivos. O Lamborghini é um excelente carro, divertimo-nos imenso e só foi realmente pena, que na segunda corrida tivéssemos sido forçados a abandonar devido a problemas mecânicos. Tanto eu como o Mário Silva gostamos da prestação conseguida, até porque não estávamos preocupados com o resultado final. A adaptação ao carro foi boa, o trabalho da equipa também, foi por isso muito positiva esta nossa presença em Jerez.” Sintetizou Francisco Carvalho.
Na Supercopa SEAT Leon, Vítor Souto foi do céu ao inferno num espaço de apenas 3 voltas. Foi essa a duração da primeira corrida do piloto bracarense, que depois de ter brilhado nos treinos cronometrados ao obter a quarta posição da grelha de partida a escassos 182 milésimos da pole, foi forçado a abandonar devido a uma manga de eixo partida, quando seguia na segunda posição. A volta mais rápida na terceira corrida, constitui o melhor exemplo do excelente andamento de Souto nesta prova, a penúltima de 2010.
“Penso que perdemos hoje aqui uma hipótese de chegar ao triunfo. O carro esteve sempre muito bom ao longo de todo o fim-de-semana, o que me permitiu andar sempre nos primeiros lugares, tantos nos treinos livres como nos cronometrados. Na primeira corrida arranquei bem, subi ao segundo lugar, até que fui forçado a desistir. Como não era possível reparar o carro para a segunda corrida, já que estas são seguidas, tive de ficar de fora. Para a terceira corrida saí de último, ainda recuperei vários lugares, até que um toque me atirou de novo para último com o carro danificado em termos de direcção. Foi pena, mas não há nada a fazer…” Lamentou desalentado Vítor Souto.
Na derradeira jornada da Copa Peugeot 207 THP, onde Carlos Vieira aspirava ainda ao terceiro lugar final no troféu, as coisas não correram de feição ao piloto da Veloso Motorsport, que ficou sempre longe dos lugares do pódio. Um carro que não quis colaborar em termos de rendimento, não permitiu ao piloto bracarense exibir-se normalmente.
“Foi uma jornada para esquecer, nunca conseguimos ter o carro a render o habitual, o que este ano já não é a primeira vez que acontece, o Peugeot está a mostrar-se muito pouco confiável, sem que a equipa tenha qualquer culpa. Estou mesmo a ponderar não continuar nesta competição. Nos treinos não fomos além do sexto lugar nas duas qualificações e nas corridas, as coisas não correram melhor. Na primeira fui sétimo, mas acabei por ser excluído devido a ter ultrapassado algumas vezes o limite da pista. A corrida de Domingo foi serena, com o sétimo lugar final a ser o melhor possível…” Referiu Carlos Vieira sobre a sua prestação.

Texto: Press-Release Veloso Motorsport

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s