Deixe um comentário

Rally de Portugal: Hirvonen mantém a liderança no dia da recuperação de Solberg

Hirvonen lidera o Rally de Portugal sem vencer qualquer uma especial de classificação (Foto: D. R.)

Ultrapassada a tempestade que se fez sentir no Algarve no segundo dia do Vodafone Rally de Portugal, a bonança chegou durante a terceira etapa da quarta prova do Mundial da especialidade. O dia amanheceu nublado mas entretanto as nuvens desapareceram e o sol imperou durante grande parte do dia. Apesar disso, muitas equipas e pilotos não sabiam ao certo que condições iriam encontrar nos troços e foi por isso que muitos erraram na escolha dos pneus e das afinações dos respectivos carros. Houve também várias formações que perderam tempo com problemas mecânicos nas suas viaturas, como foram os casos dos homens da Ford, Jari-Matti Latvala e Petter Solberg.

A maioria das equipas presentes começou o dia com cautela. Nenhuma sabia ao certo qual a melhor afinação a escolher. Com a chuva a cair no parque de assistência, a maioria optou por escolher uma configuração de suspensão mais macia e pneus com a mistura mais mole para garantir melhores níveis de tracção em especiais com o piso ensopado. Mas quem saiu para a primeira secção nestas condições cedo percebeu que iria ter dificuldades, porque o sol surgiu e as classificativas começaram a secar.  Houve quem tenha optado por levar pneus duros, como Petter Solbeg, enquanto outros, como foi o caso de Nasser Al-Attiyah, decidiram levar dois de cada.

Na especial 11 (Almodôvar 1), a primeira do dia, os pilotos perceberam o que os esperava. Quase sem pó, muita tracção e condições de visibilidade quase perfeitas. Uma forma excelente de começar a penúltima etapa do Vodafone Rally de Portugal. Mikko Hirvonen manteve a liderança no evento, enquanto Mads Ostberg diminuiu a diferença entre o primeiro e o segundo classificados. Na classificativa seguinte (Vascão 1), a chuva começou a cair mas não houve qualquer incidente.

No terceiro troço do dia (Loulé 1), a emoção aumentou e os problemas surgiram. A maioria dos pilotos concentrou-se em gerir o desgaste dos pneus, enquanto outros, como Novikov e Ostberg, tinham problemas de motor nos Fiesta WRC. Foi, por isso, que grande parte se concentrou, acima de tudo, em chegar à assistência em segurança.

À tarde, na segunda passagem por Almodôvar, Daniel Sordo teve de parar em plena especial porque o escape do Mini partiu-se e encheu o interior do habitáculo com gases. Piloto e co-piloto tiveram de partir o pára-choques para evitar que este ardesse totalmente. Por seu turno, Patrik Sandell nem conseguiu terminar o troço. O sueco bateu numa árvore e arrancou a roda dianteira direita do seu carro. Jari-Matti Latvala também foi forçado. O seu Fiesta WRC deixou de funcionar porque ficou sem pressão de gasoline e o finlandês demorou 12 minutos a resolver o problema. Deste modo, caiu para o 19º lugar da geral. Para quem tinha arrancado para a etapa em 14º após a desistência na véspera, este foi mais um revés na tentativa de pontuar em Portugal.

Armindo Araújo foi outro dos azarados na terceira etapa do Vodafone Rally de Portugal. O piloto português abandonou durante a secção da tarde depois de ter embatido numa rocha. Desse acidente resultou a quebra do braço de suspensão e, mais tarde, a roda soltou-se do Mini.

Hirvonen, que lidera desde a sexta especial da prova, manteve o primeiro lugar à frente de Ostberg. O finlandês explicou que se preocupou em andar depressa mas sem excessos para poupar os pneus. O adversário norueguês atacou e até pediu que chovesse quando terminou o último troço da manhã. Só assim, o piloto do Ford acreditava que tinha condições para forçar Hirvonen a abrandar e pressionar a liderança. Infelizmente para Ostberg, o seu pedido não foi aceite e, graças a um falha no motor do Fiesta durante a especial nº 13 e a um problema que não conseguiu identificar três troços depois, as suas esperanças de ascender ao topo da classificação caíram por terra. Assim, no final da etapa de hoje, Hirvonen lidera com uma vaontagem de 1m11,9s sobre Ostberg que se mantém em segundo.

Para Petter Solberg, o objectivo do dia era chegar ao quarto lugar e o nórdico conseguiu mesmo chegar a essa posição ainda na penúltima classificativa. Mas no derradeiro troço, a direcção assistida do Fiesta WRC deixou de funcionar e o piloto acabou por cair para a quinta posição a 6m26,5s de Hirvonen. As dificuldades do piloto official da Ford foram boas notícias para Nasser Al-Attiyah que, assim, regressou ao quarto lugar após um dia em que andou sem assumir qualquer risco. Evgeny Novikov ocupa a última posição do pódio, a 1m41,2s do líder.

Classificação após 3ª etapa

Texto: Rally de Portugal 2012

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s