Deixe um comentário

Africa Eco Race: Dia Negro para equipas lusas

MAN TGS de Elisabete Jacinto 2013

A sétima etapa da Africa Eco Race foi madrasta para os portugueses, tendo tanto Elisabete Jacinto como Paulo Ferreira perdido muito tempo nas dunas mauritanas.

A jornada de hoje ligou Chami a Akjoujt ao longo de um sector selectivo de quatrocentos e trinta e sete quilómetros trilhados em dunas e areia muito macia, o que foi determinante para o dia negativo das equipas lusas.

“Foi uma verdadeira etapa da Mauritânia”, afirmou exausto Paulo Rui Ferreira assim que conseguiu retirar a sua Nissan Navara Off Road de um buraco no meio das dunas. A equipa de Leiria teve um dia terrível, mas que faz parte integral de uma prova deste tipo. Paulo Rui Ferreira e Jorge Monteiro levaram horas para conseguir desatascar a Nissan de um buraco para onde escorregou no meio de um cordão de dunas. Mas o azar do dia não foi apenas este, pois o PRF Racing Team ficou enterrado nas areias mauritanas por diversas vezes, debatendo-se também com problemas de navegação.

“Foi muito complicado! Ficámos presos por diversas vezes, perdemos a orientação e até conseguimos furar por duas vezes, o que ainda não tinha acontecido até aqui. Depois de um dia fantástico como o de ontem, este foi verdadeiramente mau, uma etapa tipicamente mauritana que deixa ficar as suas marcas em termos de classificação. Neste momento estamos a caminho do acampamento em Akjoujt, e nem sequer sabemos a nossa classificação. Estes azares fazem parte deste tipo de corridas, e só temos de nos preparar para o dia de amanhã”, referiu, naturalmente cansado, Paulo Rui Ferreira.

Os homens da Nissan terminaram a etapa de hoje no vigésimo nono lugar, a quase quatro horas de Jean-Louis Schlesser, que voltou a ser o mais rápido, o que os atirou para o décimo segundo posto da classificação geral.

Elisabete Jacinto teve também um dia difícil, tendo sentido inúmeras dificuldades com a areia macia do deserto mauritano. O MAN da piloto portuguese afundou-se por diversas vezes na pista mole, perdendo muito tempo – mais de três horas e meia – terminando a jornada com o vigésimo sexto crono.

Com o resultado de hoje, Elisabete Jacinto caiu para o décimo primeiro lugar da geral e terceiro entre os camiões, estando a mais de duas horas do segundo classificado entre os T4.

Já ontem os dois UMM da família Barbosa tinham ficado pelo caminho devido a um problema insolúvel no jipe de assistência.

Texto: Sportmotores.com

Foto: Aifa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s